Logo horizontal site versão final.001

Candidato eliminado em fase de investigação social seguirá em concurso

Candidato eliminado em fase de investigação social seguirá em concurso

Candidato ao cargo de papiloscopista policial conseguiu anular ato administrativo que o excluiu de concurso público na fase de investigação social.

A decisão é do juiz de Direito Wilton Müller Salomão, da 5ª vara da Fazenda Pública de Goiânia/GO, ao entender que a inaptidão do investigado, que não possui sentença condenatória transitada em julgado em seu desfavor, está em discordância com os entendimentos jurisprudenciais e com o princípio da presunção de inocência.

O autor alegou que após lograr êxito em etapas do concurso público para o cargo de papiloscopista policial, foi considerado inapto na fase de investigação social em razão da existência de acordo de suspensão condicional do processo pela suposta prática de infração de menor potencial ofensivo.

Destacou, ainda, que a norma do edital que fundamentou sua inaptidão está em desacordo com o atual posicionamento do STF, bem como com a CF/88. Desse modo, pugnou que seja anulado o ato que o eliminou.

Em contestação, o Estado ressaltou a condição objetiva traçada no edital, da exigência de completa idoneidade moral dos candidatos, além da ausência de desproporcionalidade na eliminação do autor da ação.

Ao analisar os autos, o magistrado entendeu que os documentos apresentados comprovam as alegações feitas pelo candidato.

Ademais, o juiz sustentou que a norma presente no edital que considera inapto o candidato que não possui sentença condenatória transitada em julgado em seu desfavor se encontra em dissonância com os entendimentos jurisprudenciais e afronta o princípio da presunção de inocência.

Desse modo, proferiu a procedência da ação para anular o ato administrativo, a fim de declará-lo apto na fase de investigação social, possibilitando sua participação nas próximas fases do concurso.

A banca Agnaldo Bastos Advocacia Especializada patrocina a causa.

Processo: 5177584-86.2020.8.09.0051
Leia a sentença. 

Publicado no Portal Migalhas!

Compartilhe este artigo:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Informe o que deseja encontrar

Pesquisar
Se preferir, fale com nossa equipe de especialistas:

Siga-nos nas Redes Sociais

Seja bem-vindo, ao navegar em nosso site você concorda com a nossa Política de Privacidade, por isso convidamos você a conhecê-la: Política de Privacidade

Atenção ao funcionamento do nosso Escritório!

Em decorrência da declaração de Pandemia pela OMS por causa do Coronavírus (Covid-19) informamos que nossos serviços estarão funcionando da seguinte forma por tempo INDETERMINADO:

Nossos serviços estarão funcionando normalmente através do trabalho a distância (Home Office), e nossa equipe esta preparada e organizada para melhor atendê-lo.

Não estaremos realizando atendimentos presenciais e nosso contato de telefone fixo não estará disponível.

Nossos atendimento serão apenas por meios online como WhatsApp, Skype, Vídeo chamadas e ligações somente para número de celular.

LIGAÇÕES por telefone somente para este número: (62) 99193-0358 das 10:00 as 18:00.
WHATSAPP somente através deste número: (62) 9 9338-0824. (Obs.: este último número funcionará apenas através do WhatsApp, sem ligações).
E-MAIL somente através do contato@agnaldobastos.adv.br

O escritório Agnaldo Bastos Advocacia Especializada em concursos públicos e servidores públicos estamos nos adaptando a essas novas formas de contato visando a segurança e saúde de todos os seus amigos, parceiros e clientes.

Pesquisar no Site

Digite no campo abaixo o assunto que deseja buscar no site.

Olá!

Você deseja entrar em contato agora com nosso escritório e ser atendido?

ou continue sua visita no site.